Pesquisar

Oswaldo Osório, contista do Mindelo

Poeta, contista, dramaturgo e ensaísta, é um marco na cultura de Cabo-Verde e continua a publicar, apesar de ter perdido a visão, em 2004. 'A Sexagésima Sétima Curvatura' foi editada a duas mãos, em 2013, com a ajuda da companheira de uma vida.

Osvaldo Alcântara Medina Custódio nasceu no Mindelo, a 25 de novembro de 1937. Começou por ser empregado de comércio e funcionário público, só depois a vida se encarregou de o unir à política e à escrita. ‘Caboverdeanamente Construção Meu Amor’ foi a sua obra de estreia, em 1975 e dois anos depois edita ‘Cântico do habitante, Precedido de Duas Gestas’, sempre sob o nome de Oswaldo Osório. Já na prosa, podemos encontrar ‘Cantigas de Trabalho – Tradições Orais de cabo Verde’, de 1977, o ensaio ‘Emergência da Poesia em Amílcar Cabral’, de 1985, ou o romance ‘Nimores e Clara & Amores de Rua’.

Em 2004, teve de se adaptar à nova condição de vida. Uma doença hereditária fez com que perdesse a visão, mas a impossibilidade de escrever, não o afastou do trabalho de poeta. A sua companheira escreve as palavras de Oswaldo à medida que ele as dita: um trabalho a dois que continua a dar frutos. Em 2013, já com 70 anos, o cabo-verdiano publicou mais um livro de poesia, ‘A Sexagésima Sétima Curvatura’. ‘As Ilhas do Meio do Mundo’ é o título do seu mais recente romance.

Ficha Técnica

  • Título: Grandes Africanos
  • Tipo: Programa de Televisão
  • Autoria: Milene Matos Silva
  • Produção: Companhia de Ideias para a RTP
  • Ano: 2014

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui