Pesquisar

Revolta dos Cipaios, na Índia

A chamada “Revolta dos Cipaios” ou “Revolta Indiana” teve o seu início no dia 10 de maio de 1857, quando os soldados indianos ao serviço da Companhia Britânica das Índias Orientais, os chamados “cipaios”, se amotinaram. 11 de maio marcou o momento em que o motim militar se transformou numa rebelião generalizada contra o poder britânico na Índia, quando os rebeldes chegaram a Delhi e pediram ao sultão Bahadur Shah que liderasse a revolta contra os ingleses.

Delhi caiu nas mãos dos rebeldes e a revolta rapidamente alastrou a outros contingentes militares da região. Nos dias seguintes, ao mesmo tempo que o sultão aceitava liderar o movimento, embora de forma hesitante e com pouca convicção, a rebelião espalhava-se por toda a Índia. A adesão teve especial impacto junto dos cipaios muçulmanos, uma vez que tanto os hindus como os sikhs desconfiavam do rumo que a revolta poderia tomar.

 

  • Quais os motivos da revolta?

Não houve exatamente um episódio ou um evento que tivesse desencadeado a rebelião contra os ingleses. Pelo contrário, a revolta foi o desfecho de um longo processo de mal-estar e de insatisfação das tropas indianas ao serviço da Companhia Britânica das Índias Orientais. Havia motivações especificamente militares, ligadas à falta de sensibilidade dos oficiais ingleses em respeitar a diversidade de tradições culturais dos soldados indianos, ou seja, a especificidade de hindus, muçulmanos ou sikhs.

Havia insatisfação causada pela disciplina militar rígida e severa e, de um modo geral, pela forma injusta e discriminatória como os cipaios eram tratados, em relação aos soldados britânicos. Mas podem ser apontadas causas mais profundas, que se prendiam com o domínio britânico em várias regiões da Índia, obtido pela via militar e não por tratados de comércio, um sentimento difuso de opressão por parte de uma companhia de comércio estrangeira que exercia o seu poder sem qualquer legitimidade política.

 

  • Qual o desfecho?

A revolta de 1857 foi a maior crise que envolveu a presença britânica na Índia, até à independência do país em 1948. O desafio à presença britânica não se colocava apenas na repressão dos motins, mas também a um nível mais profundo. A repressão foi lenta mas eficaz, tendo demorado cerca de dois anos a debelar os focos de revolta. Os britânicos reorganizaram então a sua máquina militar e expandiram o seu domínio sobre várias regiões da Índia.

O sultão Bahadur Shah, que liderou a revolta, foi preso e exilado para a Birmânia. A partir desse momento, a Índia deixou de estar sob a alçada da companhia de comércio e passou a possessão da Coroa britânica, transformando-se no Raj, que designa oficialmente o período de domínio colonial britânico. As motivações, o desfecho e o significado da revolta de 1857 continuam a ser hoje um motivo de divisão e de controvérsia entre os historiadores. A Índia celebrou oficialmente, em 2007, os 150 anos da revolta, sob a designação de “a primeira guerra da independência”.

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Revolta dos Cipaios, na Índia
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • Cipaios dividem o saque durante a revolta dos Cipaios: Granger

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui