Pesquisar

Virgílio de Lemos, pai da lírica moçambicana

O poeta é considerado um dos vanguardistas da lírica moçambicana, com uma poesia atenta às injustiças sociais e à repressão colonial. Foi preso pela PIDE, viu a obra apreendida e viveu exilado em Paris, mas sempre defendeu a independência de Moçambique.

Diogo Virgílio de Lemos nasceu na ilha de Ibo, em Moçambique, a 29 de novembro de 1929. Escreveu os primeiros poemas em 1944 e em 1947 colaborou no Jornal da Mocidade Portuguesa, onde foi redactor. O jornal teve um papel fundamental no panorama da literatura moçambicana quando um grupo de jovens com idades entre os 14 e os 22 anos – entre os quais Rui Knopfli, Noémia de Sousa e Fonseca Amaral – começaram a colaborar com a publicação. Considerado um dos impulsionadores do movimento literário moçambicano e um vanguardista, no final dos anos 1940 e na década de 1950, Virgílio de Lemos foi colaborador da folha de poesia Mshao, contemporânea da revista Negritude de Aimé Césaire. Absolvido de um processo judicial instaurado por crime de desrespeito pela bandeira portuguesa, por um poema escrito em 1954, (com o heterónimo Duarte Galvão, no qual dizia que a bandeira portuguesa era uma capulana verde e vermelha). acabou por ser acusado e detido pela Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE), em 1961, por incitamento à independência da colónia.

Esteve preso cerca de dois anos e quando foi libertado decidiu sair de Moçambique. Viajou pelo Oceano Índico, pela Grécia e pela América Central, fixando-se em Paris, em 1963, onde foi jornalista do canal de televisão TF1. Poemas do Tempo Presente (1960) – obra apreendida pela PIDE, L’Obscene Pensée d’Alice (1989), Ilha de Moçambique:a língua é o exílio do que sonhas (1999), Negra Azul (1999) e Eroticus Mozambicanus (1999) são obras de Virgílio de Lemos. ‘A dimensão do desejo’, que integra poemas de evocação a Reinaldo Ferreira, editado em 2012, foi o último livro do poeta, que faleceu pouco tempo depois, aos 84 anos, na sua casa nos arredores de Paris.

Ficha Técnica

  • Título: Grandes Africanos
  • Tipo: Programa de Televisão
  • Autoria: Milene Matos Silva
  • Produção: Companhia de Ideias para a RTP
  • Ano: 2014

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui