Pesquisar

A ponte entre o jazz e a Física

José António Paixão estende o apelido ao que sente pela Física, mas não dispensa o jazz. Estabelece a ponte entre os dois naquele momento em que a reacção tem de ser em tempo real para que o resultado seja optimizado. Ser cientista não permite conformismo.

Foi quando ainda estava no 10º ano de escolaridade que José António Paixão descobriu a vertigem de se poder, como dizia Galileu, traduzir em linguagem matemática o comportamento da natureza. A área de investigação a que se dedica hoje, na Universidade de Coimbra, é a Física da Matéria Condensada, através da técnica da difracção de raios X.

A técnica é importante, uma vez que a matéria é investigada ao nível do átomo e da molécula, pelo que o recurso à difracção se torna imprescindível. Mesmo com os olhos nestas pequeníssimas partes da matéria, José António Paixão não deixa de saber que há mais do que os olhos alcançam: apenas uma pequeníssima porção dos constituintes do universo é conhecida.

Aquilo a que se chama “matéria escura” ou “energia escura” é na verdade tudo aquilo que se sabe que existe, mas que ainda não se sabe o que é. É nesta descoberta que José António paixão aposta como o desafio do futuro para os físicos.

  • Temas: Ciência
  • Ensino: 1º Ciclo, 2º Ciclo, 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: 5 Minutos Com Um Cientista
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Museu da Ciência da Universidade de Coimbra e RTP
  • Produção: Panavídeo
  • Ano: 2013

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui