Afonso Cruz e o poder transformador dos livros
Ensino:

Começou a abrir livros em pequeno e nunca mais deixou de o fazer. Afonso Cruz cresceu nas palavras dos outros, absorto em histórias que lhe davam novos sentidos ao mundo. A aprender sobre a vida e sobre ele próprio, porque a leitura resulta sempre em transformação. Este ato solitário e silencioso havia depois de repeti-lo no trabalho de escritor. Agora, na sua obra, a literatura tem um papel principal. Em "O Vício dos Livros" reuniu textos sobre leitores, leituras e obras. E sobre o poder dos livros.

A relação de Afonso Cruz com os livros é como um vício. Ou, num país em que se lê cada vez menos, será mais uma virtude praticada com paixão. Para isso ajuda a salvar uma das invenções mais importantes da Humanidade do esquecimento, produzindo novas histórias, na esperança contínua de fabricar novos leitores.

Nestes pequenos textos em que partilha memórias pessoais, curiosidades e reflexões sobre o poder da literatura, aprendemos que a leitura pode ter um efeito libertador, como aconteceu a uma mulher do Kuwait que, depois de começar a ler abandonou as vestes e os hábitos tradicionais. Que pode ser terapia para a alma, como dizia a inscrição da biblioteca do faraó Ramsés II. Ou ter o poder de salvar, no sentido mais literal, quem seguir a receita da Universidade de Yale que diz que “ler 30 minutos por dia fará viver, em média, mais dois anos”. Mas também ser fatal, no exemplo do relato desconcertante do poeta russo que matou o amigo à facada durante uma discussão literária.

No livro que fala de livros, o autor expõe hábitos seus de leitura, do adolescente que prolongava as viagens de autocarro a caminho da escola para ter mais tempo para ler, do leitor que dobra os cantos das páginas mas não é capaz de escrever nas margens, do impacto que as personagens têm dentro de si. Neste seu Vício cabem muitas citações e ensinamentos de outros escritores, que fazem prova da importância dos livros nas nossas vidas.

Porque não há muitos leitores? Porque é que as crianças não leem? Existe alguma fórmula para produzir leitores? São questões lançadas a Afonso Cruz na peça que passamos aqui.

Uma livraria bela e “cool”? A portuguesa Lello, claro
Veja Também

Uma livraria bela e “cool”? A portuguesa Lello, claro

E-book, uma nova vida para o livro
Veja Também

E-book, uma nova vida para o livro

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Nada Será Como Dante
  • Tipologia: Extrato de Programa Cultural - Reportagem
  • Produção: até ao Fim do Mundo
  • Ano: 2021