Pesquisar

Avante, o jornal da clandestinidade

O Avante, jornal oficial do PCP, foi a publicação regular que durante mais tempo, em todo o mundo, resistiu à censura, publicando-se na clandestinidade. Uma rede espalhada por todo o país tratava de fazer manualmente o jornal e de pedalar Portugal de lés a lés para o distribuir. Foi um jogo perigoso do gato e do rato entre os comunistas e a PIDE.

Criado em 1931, uma década após o nascimento do Partido Comunista Português (PCP), o Avante foi o jornal que durante mais tempo conseguiu publicar-se, sem paragens, de forma clandestina, no mundo inteiro. Foi assim até ao 25 de Abril. Uma vida de 43 anos à margem da lei, em desafio ao Estado Novo. Apenas o primeiro número teve direito a ser impresso numa tipografia legal, em Lisboa. A partir daí, quer a impressão, quer a distribuição desafiavam a imaginação dos comunistas e davam trabalho permanente aos agentes da polícia do regime.

Bento Gonçalves, secretário-geral do partido, constrói a primeira tipografia clandestina que, dizia, permitia à publicação trazer à luz a informação censurada nos outros jornais. Preso e levado para o Tarrafal, onde acaba por morrer, sucede-lhe Álvaro Cunhal que, em 1941, organiza um esquema apoiado em tipografias espalhadas por todo o país. De onde vinha o papel é segredo até hoje e quanto à distribuição era geralmente feita de bicicleta, havendo quem pedalasse mais de dois mil quilómetros por mês.

A história do Avante confunde-se com a do próprio PCP, sendo sobretudo um veículo para as ideias do partido. Desde a Revolução de Abril que passou à legalidade e sai todas as semanas. Até lá, muitos pereceram para que a informação que contrariava o regime ditatorial chegasse à população. Tipógrafos, professores, operários, artistas e jornalistas foram torurados pela PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado), e resultaram mesmo algumas mortes, fruto das atividades ilícitas em nome da liberdade de expressão.

Ficha Técnica

  • Título: Telejornal - 7 fevereiro 2021
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Jacinto Godinho / Hugo Antunes / Mário Santos
  • Produção: RTP
  • Ano: 2021

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui