Eça de Queirós, escritor universal
Ensino:

Eça de Queirós é um clássico da literatura, um escritor universal. Observador crítico da sociedade, constrói as suas novelas num estilo inconfundível. Estranhamente, tudo o que escreveu há mais de 100 anos, continua a ser atual.

É um dos maiores romancistas portugueses e talvez a voz mais crítica e impiedosa da segunda metade do século XIX.

Nasceu na Póvoa do Varzim, estudou Direito em Coimbra e começou por fazer carreira nos jornais. Em 1871 escreve com Ramalho Ortigão “O  Mistério da Estrada de Sintra”. No mesmo ano publicam “As Farpas”.

Viveu no estrangeiro como diplomata e, foi de fora, que melhor descreveu o “país  da choldra”, os seus costumes e atavismos. Poucos escaparam à sua língua afiada, o que lhe valeu muitos inimigos.

Eça de Queirós e Camilo Castelo Branco: duelo de escritores
Veja Também

Eça de Queirós e Camilo Castelo Branco: duelo de escritores

A sua produção literária é marcada por um ritmo que impressiona: desde “O Crime do Padre Amaro” até “A Ilustre Casa de Ramires” não esquecendo a obra maior que é “Os Maias, este escritor português conta com  mais de 30 romances publicados e traduzidos em cerca de  20 línguas.

Os Maias, de Eça de Queirós
Veja Também

Os Maias, de Eça de Queirós

 

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Portugal no século XX - 1900
  • Tipologia: Extrato de Documentário
  • Autoria: António Ruano
  • Produção: RTP
  • Ano: 1973