Pesquisar

Francisco Tenreiro, expressão da negritude

Poeta e ensaísta, foi voz da mestiçagem, da negritude e da africanidade, e deu expressão ao homem negro global e à 'nova' África. É uma das figuras de maior destaque na cultura e na história de São Tomé e Príncipe no século XX.

Francisco José Tenreiro nasceu na ilha de São Tomé a 20 de Janeiro de 1921, filho de um administrador português e de uma africana. Partiu ainda muito novo da calmaria ‘leve-leve’ são-tomense rumo a Lisboa, onde se tornou homem. Formou-se em 1961 como geógrafo na Universidade de Lisboa e trabalhou como professor no Instituto de Ciências Sociais e Política Ultramarina. Foi ainda deputado de São Tomé e Príncipe na Assembleia Nacional Portuguesa, mas foi na poesia que se realizou e imortalizou.

Os anos 1960 eram de ímpetos de luta pela liberdade, e em países como EUA e França levantavam-se vozes intelectuais negras, não só pelos seus direitos, mas pela identidade dos povos africanos. Tenreiro queria exprimir esta nova África, a fusão das culturas nativas, mostrar um homem negro global. Os seus trabalhos, ensaios na maioria, nas áreas da geografia, sociologia e história, foram publicados por diversos jornais e revistas.

A sua primeira obra, ‘Ilha de Nome Santo’, foi publicada em 1942 e nela Tenreiro apela ao respeito de todas as raças: “nasci do negro e do branco / e quem olhar para mim / é como se olhasse / para um tabuleiro de xadrez” (…) “E tenho no peito uma alma grande, / uma alma feita de adição”. Em 1953, em conjunto com o angolano Mário de Andrade, volta a arriscar na ousadia e publica em Lisboa ‘Poesia Negra de Expressão Portuguesa’ –  uma antologia de textos de novos intelectuais africanos. Era a assumpção da ‘Africanidade’. Em 1961 publica o  primeiro ensaio, ‘A Ilha de São Tomé’, onde refuta a ideia de escravidão no arquipélago durante o século XVI. no ano seguinte dá por concluído o segundo livro de poemas, ‘Coração em África’, que já não viu ser publicado, por ter falecido em 1963.

Ficha Técnica

  • Título: Grandes Africanos
  • Tipo: Programa de Televisão
  • Autoria: Milene Matos Silva
  • Produção: Companhia de Ideias para a RTP
  • Ano: 2014

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui