Pesquisar

Frederico Gustavo dos Anjos, o visionário

Poeta e ensaísta, licenciou-se em Estudos Alemães em Leipzig. Esteve na Direção de Cultura de São Tomé e Principe e foi secretário de Estado da Comunicação Social e Cultura. Estudioso da literatura, criou o poema épico 'Solilóquio de um Visionário'.

Frederico Gustavo dos Anjos é poeta e ensaísta nascido em 1954, na ilha de São Tomé. Quando termina os estudos viaja até Leipzig, cidade pertencente do antigo bloco de leste, para se licenciar em Estudos Alemães. Em 1984, regressa a São Tomé e trabalha na então Direcção de Cultura até assumir o cargo de Coordenador Nacional da Comunicação Social e, depois, o de Secretário de Estado da Comunicação Social e Cultura. Entre 1975 e 1991, publicou alguns poemas e artigos no jornal Revolução, e também em diversas antologias de poesia.

Em 1984, publicou o romance ‘Bandeira para um Cadáver’, cuja personagem principal é inspirada numa figura real, e em que a loucura funciona como veículo de contestação. Um ano depois editou um estudo sobre a literatura do arquipélago, intitulado ‘As descobertas da descoberta ou a dimensão de uma mensagem poética’, em que se dedica à análise da linguagem são-tomense. Em 1986 publica um poema de sessenta estrofes, onde a ilha é assumida como lugar centralizador da consciência sócio-histórica e como espaço privilegiado de conhecimento, numa obra intitulada ‘Solilóquio de um Visionário’.

Ficha Técnica

  • Título: Grandes Africanos
  • Tipo: Programa de Televisão
  • Autoria: Milene Matos Silva
  • Produção: Companhia de Ideias para a RTP
  • Ano: 2014

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui