“Pastelaria”, de Mário Cesariny
Ensino:

Neste episódio do programa "Voz" escutamos o poema de Mário Cesariny dito pelo ator Marco D´Almeida. Um encontro com a poesia para ver, ouvir e ler aqui. <br /> <br />

Pastelaria

Afinal o que importa não é a literatura
nem a crítica de arte nem a câmara escura

Afinal o que importa não é bem o negócio
nem o ter dinheiro ao lado de ter horas de ócio

Afinal o que importa não é ser novo e galante
– ele há tanta maneira de compor uma estante

Afinal o que importa é não ter medo: fechar os olhos
frente ao precipício
e cair verticalmente no vício

Não é verdade rapaz? E amanhã há bola
antes de haver cinema madame blanche e parola

Que afinal o que importa não é haver gente com
fome
porque assim como assim ainda há muita gente que
come

Que afinal o que importa é não ter medo
de chamar o gerente e dizer muito alto ao pé de
muita gente:
Gerente! Este leite está azedo!

Que afinal o que importa é pôr ao alto a gola do
peludo
à saída da pastelaria  e lá fora – lá fora! – rir
de tudo

No riso admirável de quem sabe e gosta
ter lavados e muitos dentes brancos à mostra

Mário Cesariny

 

“Poema podendo servir de Posfácio”, de Mário Cesariny
Veja Também

“Poema podendo servir de Posfácio”, de Mário Cesariny

“Ao volante do Chrevolet pela estrada de Sintra”, de Álvaro de Campos
Veja Também

“Ao volante do Chrevolet pela estrada de Sintra”, de Álvaro de Campos

 

Temas

Ficha Técnica

  • Título: "Voz"
  • Tipologia: Programa de Poesia
  • Autoria: Produções Fictícias
  • Produção: até ao Fim do Mundo
  • Ano: 2005