No rasto da poesia de Ruy Belo
Ensino:

Deslumbrado com as coisas pequenas do quotidiano, Ruy Belo consagrou a sua vida à poesia. No exercício de escrever, tinha a exigência do rigor até as palavras fluírem sem esforço. É por muitos considerado um dos grandes poetas espirituais portugueses.

Em a “Senda da Poesia” – único ensaio publicado em 1969 – escreve: “Não há bem mais humano que a palavra (…). Ela ajuda a criar, e participa da história do homem. Daí que pô-la em jogo seja movimentar o universo”.

Ruy Belo (1933-1978) é um homem de palavras, vagueia entre elas para evocar o passado, lugares e paixões, indagar sobre si e os outros, para falar do amor e da morte, das coisas do mundo do dia-a-dia, da sua relação com o divino. Para o ensaísta e professor universitário Luís Adriano Carlos, a poesia de Belo apresenta uma metafísica de profundidade abissal, sublime e grandiosa. Um retrato breve do autor de “Aquele grande rio Eufrates”.

“E Tudo Era Possível”, de Ruy Belo
Veja Também

“E Tudo Era Possível”, de Ruy Belo

“O Portugal Futuro”, de Ruy Belo
Veja Também

“O Portugal Futuro”, de Ruy Belo

 

 

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Ler+ ler melhor - Ruy Belo
  • Tipologia: Extrato de Magazine Cultural
  • Produção: Filbox produções
  • Ano: 2012