Pesquisar

Outras formas de fazer política

Pode fazer-se política fora das estruturas de partidos ou sindicatos. Fazer política é também acreditar em causas, ir para a rua defender aquilo em que se acredita ou encontrar formas diferentes de intervenção pública.

A 12 de março de 2011 aconteceu uma das maiores manifestações de que há memória após a revolução de 25 de abril de 1974, com dezenas de milhares de jovens a virem para rua contestar a precariedade da situação laboral.

A iniciativa não foi organizada por sindicatos ou partidos, mas por um grupo de amigos que, após uma conversa de café, decidiram fazer mais do que apenas falar, criando um grupo nas redes sociais que acabou por dinamizar a iniciativa. Nesta reportagem pode conhecer Paula Gil, uma das iniciadoras do grupo.

Não é, no entanto, necessário trazer milhares de pessoas para a rua para se ter impacto publico. Duas amigas estão há muito em campanha pelo ambiente, contactando restaurantes e cafés sensibilizando-os para a necessidade de substituir as palhinhas de plástico por outras menos agressivas para a natureza. Uma forma de fazer política directa que está a obter resultados.

O Projecto Pegadas, que apoia a integração de jovens de bairros vulneráveis de Cascais, surge como outro modelo de fazer política, tal como descreve a jovem que lidera esta organização.

Ficha Técnica

  • Título: Fronteiras XXI: Outras formas de fazer política
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Catarina Marques/ Carlos Oliveira/ Luis Vilar/ Luís Moreira
  • Produção: RTP
  • Ano: 2018

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui