Pesquisar

Retratos do atentado a Salazar

No dia 4 de julho de 1937, Salazar foi alvo de um atentado à bomba, mas escapou incólume. A operação organizada por anarquistas e comunistas teve como resultado a glorificação do regime.

António de Oliveira Salazar preparava-se para assistir a uma missa privada quando, ao sair do automóvel, explodiu um engenho que tinha sido colocado numa conduta. Na rua Barbosa do Bocage, em Lisboa, ficou uma cratera profunda, mas o ditador escapou ileso.

Nos meses seguintes desenrolou-se uma gigantesca investigação policial e um conflito entre as polícias de investigação e política. Foram capturados os autores do ataque, mas também outros, que nada tinham a ver com o caso e que passaram longos períodos na prisão sem culpa formada.

O atentado serviu ainda para o regime capitalizar em popularidade, aproveitando para passar a imagem de Salazar como o homem providencial de que o país precisava.

Memória Fotográfica é uma série documental onde as fotografias ganham vida com a presença do historiador que, agarrando neste ou naquele elemento, mostra como ocorreram episódios que marcaram a história portuguesa do século XX. Guerras, revoluções, intrigas, festejos, dramas, vitórias, líderes, derrotados e vencedores, de tudo se encontra nas fotografias que preservam parte da nossa memória coletiva. Elas retratam as mais diversas áreas e episódios da vida portuguesa do século passado.

Ficha Técnica

  • Título: Memória Fotográfica - Atentado a Salazar
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Jorge Nunes, Miguel Montez Leal, Rui Tavares
  • Produção: RTP/ Panavideo
  • Ano: 2018

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui