Pesquisar

Viagem de um escritor ao mundo da fome

Por detrás da palavra fome escondem-se histórias de seres humanos condenados à pobreza absoluta. São vidas transformadas pela privação, pela carência, dominadas por essa urgência em arranjar alguma coisa para comer. Para matar a fome, conseguir escapar-lhe mais um dia. O jornalista e escritor Martín Caparrós decidiu trazer nomes à dureza dos factos, revelar quem são algumas destas «pessoas vítimas da fome». Com uma mulher do Níger percebeu que a miséria pode tirar tudo. Por fora e por dentro.

O que é ser muito pobre? É viver com menos de 1,90 dólares por dia (cerca de 1 euro e 60 cêntimos), responde o Banco Mundial, em 2021. O valor denuncia a desigualdade que existe no mundo. De um lado os mais ricos, do outro os que vivem na pobreza extrema, sem comida, sem teto, roupa ou capacidade para reinventar o futuro.

Atualmente, mais de 900 milhões de seres humanos não conseguem escapar à fome, entre eles  cerca de 149 milhões de crianças com menos de cinco anos têm um crescimento deficitário por causa da falta de alimentos. A maioria vive em zonas rurais, sobretudo na África subsariana, Ásia, América latina. Mas não se trata de um fenómeno exclusivo dos países do terceiro mundo: em Portugal, por exemplo, há pessoas em risco de pobreza, com rendimento tão baixos que as limitam no acesso ao ensino e a cuidados básicos de saúde.

Impossível ficar indiferente a números tão absurdos. Para Martín Caparrós, jornalista e escritor argentino, esta é a maior vergonha do nosso tempo. O que ele descobriu na sua viagem aos mundos da fome, é que não ter dinheiro para satisfazer esta necessidade básica é apenas um lado da questão. Porque quem é apanhado na pobreza, fica também esvaziado de sonhos. Disse-lho uma mulher do Níger que, perante a possibilidade de formular um desejo, escolher para si o que quisesse, surpreendeu-o com a resposta. Uma vaca. No máximo, duas.

Existem muitas fomes, concluiu no final da sua experiência. Quantas serão? São todas injustas e dramáticas e tão velhas como a história.

 

 

Ficha Técnica

  • Título: Literatura Aqui
  • Tipo: Extrato de Programa Cultural
  • Produção: até ao Fim do Mundo
  • Ano: 2016

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui