William Faulkner: o Nobel que se dizia “poeta falhado”
Ensino:

Prémio Nobel da Literatura em 1949, William Faulkner é considerado um escritor complexo, difícil de se ler. Os primeiros livros não tiveram êxito mas depois de fazer uma versão mais moderada da história cruel do "Santuário" passou a ter a atenção merecida.

Na terra onde nasceu, o sul dos Estados Unidos, encontra William Faulkner (1897-1962) matéria para escrever dramas densos e intensos que retratam a sociedade do pós-Guerra Civil. Todo o universo que assentava na longa tradição escravista, onde a supremacia branca era total, desmorona-se e muitos famílias conhecem a ruína. Decadência, desespero, ganância marcam a ficção faulkneriana, quase sempre passada no condado imaginário de Yoknapatawpha, no Mississipi.

Homem de muitos ofícios, só depois de 1930 e a partir da publicação da segunda versão do “Santuário”, as suas obras começam a ser reconhecidas junto da crítica e do grande público. Na prosa deste autor, que se considerava “poeta falhado”, a escritora Lídia Jorge descobriu “uma densidade poética inacreditável”.

Mark Twain, mestre da literatura americana
Veja Também

Mark Twain, mestre da literatura americana

“Crime e Castigo”, de Fiódor Dostoiévski
Veja Também

“Crime e Castigo”, de Fiódor Dostoiévski

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Ler +. Ler Melhor - William Faulkner
  • Tipologia: Extrato de Magazine Cultural
  • Produção: Filbox produções
  • Ano: 2013