Pesquisar

A dissolução da URSS e formação da Comunidade de Estados Independentes

A 8 de dezembro de 1991, os líderes das três principais repúblicas soviéticas, Rússia, Ucrânia e Bielorrússia, assinaram um acordo que declarou a dissolução da União Soviética. Assim surgiu uma nova entidade de associação entre os três países, a Comunidade de Estados Independentes.

A cimeira teve lugar numa dacha, ou seja, uma residência de férias em Viskuli, na Bielorrússia. Foi uma reunião informal e confidencial, ou seja, realizou-se à margem das entidades e das instâncias políticas ainda em vigor. Este caráter secreto prende-se com a turbulência que envolveu a desagregação da União Soviética, que estava então em curso. O documento ficou conhecido como Acordo de Belavezha e era o reconhecimento de que a União Soviética já não existia na realidade e que era necessário criar um novo organismo que a substituísse, ou seja, que a Rússia, a Ucrânia e a Bielorrússia deveriam manter os laços que as uniam, mas agora no seio de uma livre associação entre estados independentes e soberanos.

 

  • Como foi a desagregação da União Soviética?

A União Soviética era uma federação de repúblicas socialistas, proclamada em 1921 após o sucesso da revolução bolchevique e que partilhou com os EUA a liderança mundial após a II Guerra. A sua estagnação e declínio, ao longo das décadas de 1970 e 80, são ainda motivo de debate e polémica entre historiadores. Aceita-se que o sistema político, económico e social soviético necessitava de reformas e de renovação e que foi a eleição de Mikhail Gorbatchov para a liderança da federação, em 1985, que desencadeou o processo nesse sentido. No entanto, o seu projeto de reformar política e economicamente o país sem causar ruturas ou o desmembramento da União fracassou. O chamado bloco socialista fragmentou-se e as várias repúblicas soviéticas proclamaram sucessivamente a independência, a partir de 1989. O primeiro-ministro russo, Boris Ieltsin, agiu claramente no sentido de apressar o fim da União e foi, aliás, um dos subscritores do acordo de Belavezha.

 

  • E que consequências teve este acordo?

A assinatura do acordo precipitou os acontecimentos e acelerou as formalidades de extinção da União. Quatro dias depois, o Soviete da Rússia ratificou o acordo e no natal de 1991 Mikhail Gorbatchov demitiu-se. No dia imediato, o Soviete Supremo da URSS declarou o fim da União. Enquanto este processo decorria, um outro processava-se em simultâneo. As antigas repúblicas soviéticas, com exceção dos países bálticos e da Geórgia, aderiram gradualmente à Comunidade de Estados Independentes. No dia 21 de dezembro, os líderes destes países reuniram-se em Alma-Ata, capital do Cazaquistão, e celebraram formalmente a criação desta nova entidade política.

A Comunidade de Estados Independentes desempenhou um papel importante nos anos imediatos, uma vez que atenuou as ruturas e a instabilidade que se seguiu ao colapso da URSS, mas nunca conseguiu afirmar-se como uma verdadeira aliança entre repúblicas e evitar a hegemonia da Rússia, que se acentuou progressivamente e que é hoje uma evidência na geopolítica internacional.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

  • Temas: História
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Dissolução da URSS e formação da Comunidade de Estados Independentes
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui