Pesquisar

A Junta de Salvação Nacional, primeiro poder após a ditadura

Apresentada às primeiras horas do dia 26 de abril, a Junta de Salvação Nacional destitui o anterior poder político e desmantela a PIDE e a Legião Portuguesa. Seria substituída, em 1975, pelo Conselho da Revolução, na sequência do 11 de Março.

A rendição do governo de Marcelo Caetano e a sua destituição, bem como a do presidente Américo Tomás, exigiam uma solução que permitisse prosseguir os propósitos do 25 de Abril e que, em simultâneo, evitasse hiatos. Essa solução estava prevista no programa do Movimento das Forças Armadas (MFA) e consistia na nomeação de uma Junta de Salvação Nacional que entrou imediatamente em funções, e que iria assegurar o poder até tomar posse o I Governo Provisório (liderado por Palma Carlos e empossado a 16 de maio de 1974).

Da Junta faziam parte sete elementos: António de Spínola, Francisco da Costa Gomes, Jaime Silvério Marques, Diogo Neto, Galvão de Melo, Pinheiro de Azevedo e Rosa Coutinho, encontrando-se assim representados os três ramos das forças armadas. Entre estes elementos, Spínola seria designado mais tarde para exercer a Presidência da República, sendo este órgão extinto após os acontecimentos de 11 de Março de 1975.

“Dicionário de Abril” é uma série de pequenos programas dedicados ao 25 de Abril de 1974 e ao período de instauração do regime democrático em Portugal, produzidos a partir de imagens de arquivo.

Ficha Técnica

  • Título: Dicionário de Abril - Letra J
  • Tipo: Programa
  • Autoria: António Reis/ Maria Inácia Rezola/ Paula Borges
  • Produção: Braveant/ RTP
  • Ano: 2012

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.