Pesquisar

Barcos-berço, o maior recife artificial da Europa

Uma experiência única no mar português: mergulhar num museu subaquático que é, ao mesmo tempo, o maior recife artifical da Europa. Ao largo de Portimão, quatro velhos navios de guerra são o santuário de múltiplas espécies marinhas.

Barcos-berço. A expressão adequa-se na perfeição ao que podemos ver, debaixo de água, no Algarve. Frente à Prainha, em Portimão, quatro navios de guerra desativados foram especialmente preparados para um projecto pioneiro no mundo.

O “Ocean Revival” é, simultaneamente, um museu sub-aquático onde pode conhecer, com guias turísticos, a história destas enormes embarcações portuguesas e visitar o lar de inúmeras espécies marinhas que nelas nascem e vivem.

Antes de serem afundados, os barcos foram descontaminados e artilhados com mecanismos que permitem aos cientistas uma monitorização permanente da vida marinha neste recife artifical.

Ao longo dos anos, cracas, esponjas, bivalves, construiram neles as suas casas. Todo aquele metal, no fundo do mar, forma grutas por onde douradas, sargos e santolas se passeiam sem medo de pescadores, proibidos na área. Águas calmas e temperaturas amenas fazem o resto.

No Algarve, dezenas de espécies encontram, como os turistas, um paraíso. Que o digam os mexilhões, que se multiplicam pelos pelo recife de navios!

Ficha Técnica

  • Título: Mar, A Última Fronteira
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: Nuno Sá
  • Produção: Nuno Sá / RTP
  • Ano: 2019

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui