Pesquisar

Escravos e escravatura em Portugal

No século XVI alguns estrangeiros descrevem Portugal como um país com uma forte presença de escravos negros e mouros cativos . A estes somam-se ainda os que noutras paragens do império asseguram os pesados trabalhos na agricultura ou com a mineração.

A existência de escravos é documentada há milhares de anos, mas em Portugal a massificação da sua utilização é uma realidade a partir do século XV.

A primeira grande “partilha” de escravos, de que há notícia em Portugal, aconteceu sob tutela do Infante D. Henrique, na cidade algarvia de Lagos, no ano de 1444. Mais de 200 homens, mulheres e crianças foram disputados entre algumas dezenas de interessados. A cena sobreviveu descrita, de forma dramática, por Gomes Eanes de Zurara.

A escravatura generalizou-se no país. Eles realizavam todo o tipo de trabalhos e existiram até serviços de aluguer, para aqueles que necessitavam de trabalhos pontuais e não tinham condições para os comprar ou manter.

A escravatura vai manter-se no reino até meio do século XIX, apesar de serem do Marquês de Pombal as primeiras leis que impediam a sua importação para o país, uma proibição que não se alargava a outras paragens do Império.

Ficha Técnica

  • Título: História a história - Os escravos e a escravatura em Portugal
  • Tipo: Documentário
  • Autoria: Fernando Rosas
  • Produção: RTP/ Garden Films
  • Ano: 2015

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui