Pesquisar

S. Francisco Xavier chega ao Japão

Foi a 27 de julho de 1549  que o navio em que viajava o missionário Francisco Xavier atingiu a costa do Japão, após uma viagem de vários meses iniciada em Goa e com escala em Malaca e na costa chinesa. No entanto, só a 15 de agosto foi autorizado a desembarcar em Kagoshima, um porto da ilha de Kyushu, no sul do Japão.

Francisco Xavier saiu em terra em companhia de quatro companheiros, sendo um deles um japonês chamado Anjiro, que Xavier tinha conhecido em Malaca dois anos antes e que o convenceu a iniciar a missionação no arquipélago nipónico.

O trabalho de Francisco Xavier não foi fácil. Embora bem recebido, deparou com resistências por parte das autoridades japonesas, que desconfiavam naturalmente da nova religião. Porém, conseguiu que a pequena missão católica florescesse, embora lentamente, e ao fim de dois anos decidiu regressar à Índia para prosseguir o trabalho missionário noutras paragens.

Viria a morrer pouco depois, na ilha de Shangchuan, ao largo da costa da China, enquanto aguardava um navio que o transportasse para o continente.

 

  • Que importância teve essa estadia no Japão?

Francisco Xavier foi o mais importante missionário da Companhia de Jesus, a nova ordem religiosa de que foi cofundador, juntamente com Inácio de Loyola. Durante a sua estada no Japão, Xavier apurou e definiu de forma mais consistente as estratégias de missionação que viriam a ser seguidas pelos seus sucessores em toda a Ásia.

Em primeiro lugar, era necessário aprender a língua e conhecer a cultura e a sociedade de cada terra, a fim de adaptar o trabalho missionário às normas e características de cada região. Depois, o esforço de evangelização deveria dirigir-se, em primeiro lugar, às elites, de forma a obter proteção e aceitação social, evitando conflitos que poderiam colocar em risco o sucesso de cada missão. Por fim, todo o trabalho de conversão deveria ser feito nas línguas locais e não em latim ou numa língua europeia, porque só assim se poderiam evitar as conversões superficiais e temporárias.

Embora lenta e difícil, esta estratégia veio a revelar-se muito mais eficaz que as seguidas por outras ordens religiosas e teve enorme sucesso no Japão.

 

  • Que impacto teve na história desse país?

Quando Francisco Xavier e os primeiros missionários jesuítas desembarcaram no Japão, o país estava mergulhado numa profunda guerra civil que durava há várias décadas, com lutas permanentes entre vários chefes militares. Este cenário de caos social e de instabilidade política favoreceu a penetração da religião católica, uma vez que os missionários obtiveram proteção de diversos senhores da guerra, que usufruíam do comércio levado a cabo pelos portugueses e acolhiam, portanto, os missionários que viajavam nos seus navios.

O acolhimento prestado por um dos mais importantes chefes militares, Oda Nobunaga, foi fundamental para o rápido crescimento das missões jesuítas. Calcula-se que trinta anos após a chegada de Francisco Xavier ao Japão, o número de cristãos japoneses já excedia uma centena de milhar. Porém, no final do século XVI, a religião católica passou a ser vista como uma ameaça para a unificação política do país e foi severamente reprimida. Os missionários foram expulsos e o catolicismo foi oficialmente proibido, num primeiro passo para o encerramento do Japão ao mundo exterior, que perdurou até ao século XIX.

Ouça aqui outros episódios do programa Dias da História

Ficha Técnica

  • Título: Os Dias da História - Francisco Xavier no Japão
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Paulo Sousa Pinto
  • Produção: Antena 2
  • Ano: 2017
  • Imagem: "D. João III em audiência a S. Francisco Xavier"/ Museu de São Roque

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui