Pesquisar

Obras podem prejudicar construção antissísmica

As obras de adaptação realizadas nos edifícios pombalinos ao long odos últimos séculos fragilizaram a sua resistência aos sismos. As conclusões estão um estudo realizado pela Universidade Nova de Lisboa.

Foram retirados pilares, tapumes e paredes com o objetivo de adaptar os edifícios pombalinos a lojas, escritórios ou outras áreas comerciais e industriais. Muitas destas obras foram realizadas durante o século XX e podem ter fragilizado as construções ao eliminar suportes importantes para assegurar a estabilidade das construções em caso de sismo.

Logo após o terramoto as medidas antissísmicas adotadas para as  novas construções foram das mais avançadas da época. Quando se perdeu a memória da tragédia, os edifícios começaram a sofrer alterações em que a utilidade de sobrepôs à estabilidade, um situação que potencia o surgimento de problemas graves no caso de se registar um terramoto de grande intensidade.

Estas são conclusões que resultaram de experiências realizadas na mesa sísmica da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

Ficha Técnica

  • Título: Ensaio de um sismo
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Vasco Matos Trigo
  • Produção: RTP
  • Ano: 2008

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.