Pesquisar

Retornados após o fim do império

O fim do império português fez regressar a Portugal milhares de pessoas, sendo constituídos núcleos de apoio aos desalojados que eram provenientes das antigas colónias. O IARN, criado mais tarde, centralizou todos os apoios, desde empréstimos a roupa.

A revolução e a independência das colónias africanas levaram a um afluxo significativo de cidadãos nacionais ao continente e aos arquipélagos dos Açores e da Madeira. Em dois anos (1974/76), o número de regressados equivaleu a mais de cinco por cento da população residente, o que obrigou a algumas tarefas complexas que incluiam encontrar habitação, emprego e integrar pessoas que, por vezes, nem sequer conheciam a capital.

O  Grupo de Apoio aos Desalojados do Ultramar (GADU) foi a primeira entidade criada para prestar este auxílio, sendo substituído, face à sua incapacidade de resposta perante um afluxo contínuo de milhares de pessoas, pelo Instituto de Apoio ao Retorno de Nacionais (IARN). Este instituto centralizava todos os apoios aos retornados, quer do ponto de vista administrativo quer do ponto de vista logístico. Eram múltiplas e variadas as necessidades de quem chegava – muitos não possuíam aqui família e tinham perdido boa parte dos seus bens.

“Dicionário de Abril” é uma série de pequenos programas dedicados ao 25 de Abril de 1974 e ao período de instauração do regime democrático em Portugal, produzidos a partir de imagens de arquivo.

Ficha Técnica

  • Título: Dicionário de Abril - Letra I
  • Tipo: Programa
  • Autoria: António Reis/ Maria Inácia Rezola/ Paula Borges
  • Produção: Braveant/ RTP
  • Ano: 2012

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.