D. Maria Pia e o Palácio da Ajuda
Ensino:

Projetado para ser grandioso à escala dos monumentos europeus, este palácio tem uma história com mais de 200 anos. Obra de inspiração neoclássica, foi residência real, decorada no gosto irrepreensível de uma princesa italiana que casou com rei português.

Fazer de um palácio casa sua, habitação acolhedora para a família e, ao mesmo tempo, pronta a receber os mais ilustres convidados de todo o mundo, foi desafio que D. Maria Pia, princesa da casa italiana de Saboia, aceitou com agrado. Em 1862, acabada de casar com o rei D. Luís, esta jovem de apenas 14 anos possuía um gosto sofisticado que não só transformará a residência régia como deixará marcas na sociedade portuguesa oitocentista.

O conforto impôs alterações que começaram na estrutura do edifício de inspiração neoclássica, estilo que se seguiu ao barroco e rococó, que utilizava formas geométricas e simétricas, materiais nobres tradicionais. No interior as salas foram redimensionadas e renovadas, construíram-se casas de banho com banheiras e águas correntes, nasceram novos espaços, como as Salas da Música e do Retrato ou a Capela privada, onde se encontra a única obra do pintor espanhol El Greco que existe em Portugal.

A rainha não olha a gastos e investe na decoração, adquirindo peças importantes de mobiliário, escultura e tapeçaria, sendo esta uma das melhores coleções decorativas do país. Algumas, como o centro de mesa que pertenceu à baixela de D. Maria Pia, têm também uma história contada ao pormenor nesta visita que fazemos ao palácio por José Alberto Ribeiro, o seu diretor.

Construído após o incêndio que consumiu a Real Barraca ou Paço de Madeira, para onde fora viver o rei depois do terramoto de 1755, este palácio, onde trabalharam artistas como Domingos Sequeira e Machado de Castro,  foi uma obra lenta, interrompida várias vezes devido às vicissitudes financeiras e políticas do país, como as invasões francesas e as lutas liberais. Encerrado em 1910, quando foi proclamada a República, é hoje possível visitar parte da residência e ter acesso ao ambiente faustoso em que vivia a  família real portuguesa no século XIX. Além do museu, ali está também instalada a Biblioteca Real, com um acervo de 150 mil obras.

A Real Biblioteca do Palácio da Ajuda
Veja Também

A Real Biblioteca do Palácio da Ajuda

Domingos Sequeira, mestre em desenho e pintura
Veja Também

Domingos Sequeira, mestre em desenho e pintura

Palácio da Bolsa, a afirmação da burguesia do Porto
Veja Também

Palácio da Bolsa, a afirmação da burguesia do Porto

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Visita Guiada - Palácio Nacional da Ajuda
  • Tipologia: Programa Cultural
  • Autoria: Paula Moura Pinheiro
  • Produção: RTP
  • Ano: 2015