O Livro de Cesário Verde
Ensino:

Poeta do concreto, das quadras simples, Cesário Verde é um dos precursores do modernismo em Portugal. No seu tempo foi ostensivamente ignorado. O reconhecimento, a admiração, vieram muito depois da morte, aos 31 anos de idade.

Poeta do século XIX, Cesário Verde nasceu na rua dos Fanqueiros, em Lisboa, a 25 de fevereiro de 1855. Sabemos que frequentou o curso de Letras, que um incêndio na casa de campo da família destruiu muito do que escrevera, que foi um comerciante, homem da pequena burguesia e republicano convicto. Sabemos pouco para traçar uma biografia exaustiva do senhor Verde mas, lendo com atenção o seu único livro, ficamos a saber que inventou uma nova poesia.

A aventura literária de Cesário Verde começa no “Diário de Notícias”. Os versos são publicados e mal recebidos pelos seus contemporâneos e críticos literários. Ninguém estava preparado para aquela poesia, tão diferente da que se fazia na altura, da corrente melodramática e romântica que a todos agradava.

Cesário transgride na forma e no conteúdo. Prefere quadras a sonetos. Escolhe temas não poéticos, coisas prosaicas  do quotidiano, que descreve sem sentimentalismos, recorrendo a palavras vulgares em vez de pesados vocábulos e frases de sentidos difíceis. Lisboa é a personagem principal dos seus poemas. O poeta observa atentamente o que se passa, filtra e capta a cidade nos seus múltiplos ângulos e  descreve o que vê em concisos instantâneos impressionistas.

“O Sentimento de Um Ocidental – I- Ave Marias”, de Cesário Verde
Veja Também

“O Sentimento de Um Ocidental – I- Ave Marias”, de Cesário Verde

“O Sentimento de um Ocidental”, “Nós”, “Num bairro moderno” fazem parte da sua única obra póstuma: “O Livro de Cesário Verde”, uma coletânea dos seus poemas editada depois da sua morte, em 1886. A genialidade destes 37 poemas é reconhecida quarenta anos depois por Fernando Pessoa que chama “mestre” a Cesário Verde.

 

Cesário Verde: o poeta que Maria Filomena Mónica biografou
Veja Também

Cesário Verde: o poeta que Maria Filomena Mónica biografou

“Rimas”, de Bocage
Veja Também

“Rimas”, de Bocage

 

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Grandes Livros - O Livro de Cesário Verde
  • Tipologia: Documentário
  • Produção: Companhia de Ideias
  • Ano: 2010