Pesquisar

O Meu Género

Antes de ver a luz, já a pergunta: menino ou menina? Há uns anos - e ainda hoje - se for menina vestirá rosa, se for menino, azul. Às raparigas são oferecidas bonecas, aos rapazes carros. Mas o que parece simples, não o é, nem nunca foi. Entre o feminino e o masculino existe um universo de pessoas que não se identificam com o sexo registado à nascença. São transgénero, ou simplesmente trans, sendo a identidade de género uma coisa diferente de orientação sexual e que não deve ser confundida.

A identidade de género é a forma como a pessoa se identifica, como se sente, independentemente do corpo com que nasceu. Pode considerar-se, na essência, como homem, mulher, um pouco de ambos ou mesmo nenhum dos dois. Complexo? Talvez, mas há muito que se sabe que o sexo não é uma questão de preto e branco. Há toda uma linha de cinzentos a explorar, como por exemplo as pessoas agénero, as não binárias, as género fluído, entre outras.

Têm uma vida mais difícil, já que as questões de identidade interferem com a própria pessoa, mas também com todas as que as rodeiam. A maioria dos transgénero são vítimas de confusão, incompreensão e mesmo de exclusão pelas suas famílias, na escola, no mercado de trabalho. A maioria acaba por desenvolver doenças mentais como depressões e stress pós-traumático. Uma percentagem significativa tenta o suicídio.

A luta pelo espaço devido e pela aceitação é hoje uma questão de cidadania. Legalmente, em Portugal, entre 2010 e 2020, quase 1.200 pessoas mudaram de sexo. O processo é, no entanto, muito mais abrangente. O Cláudio pode passar a Cláudia ou a Joana a João, mas o que há a alterar pode ir da voz, ao penteado e mesmo ao corpo e à própria mudança de sexo.

O objectivo é olhar-se ao espelho e reconhecer-se na sua pele. Sem identidade, há um vazio e por vezes, mesmo, um caminho cheio de enganos e infelicidade. Com o advento da ciência e o exercício das liberdades individuais, tornou-se possível aos transgénero a assunção das suas diferenças perante o estabelecido. Sabe-se hoje que o sexo biológico não determina o género, tal como o género não determina a orientação sexual.

Ficha Técnica

  • Título: Linha da Frente - O Meu Género
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Marta Jorge / Marques de Almeida / Gilherme Brízido
  • Produção: RTP
  • Ano: 2021

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui