Pesquisar

O regicídio em fotografias

Não há fotografias que recordem o regicídio de fevereiro de 1908 e as imagens que se conhecem desse dia são ilustrações que correram mundo. Os fotógrafos deixaram escapar o momento do atentado, mas os acontecimentos que se seguiram, nomeadamente os funerais, foram amplamente documentados por um fotojornalismo que então dava os primeiros passos.

Numa altura em que a fotografia já se havia afirmado, o acontecimento depressa mereceu a atenção de todos os que se interessavam por esta nova forma de expressão e entre os mais empenhados estavam os fotojornalistas. Deste grupo, merece especial destaque Joshua Bonoliel, nascido em Lisboa, no seio de uma família judaica, e considerado o mais importante repórter fotográfico do seu tempo.

Ele e outros foram foram responsáveis por documentar o que se seguiu, nomeadamente as exéquias fúnebres tanto dos monarcas como dos assassinos, que tinham sido mortos durante o atentado.

Memória Fotográfica é uma série documental onde as fotografias ganham vida com a presença do historiador que agarrando neste ou naquele elemento, mostra como ocorreram episódios que marcaram a história portuguesa do século XX. Guerras, revoluções, intrigas, festejos, dramas, vitórias, líderes, derrotados e vencedores, de tudo se encontra nas fotografias que preservam parte da nossa memória coletiva. Elas retratam as mais diversas áreas e episódios da vida portuguesa do século passado.

Ficha Técnica

  • Título: Memória Fotográfica - O Regicídio
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Jorge Nunes, Miguel Montez Leal, Rui Tavares
  • Produção: RTP/ Panavideo
  • Ano: 2018

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui