Ricardo Reis: “Sábio É o que se Contenta com o Espetáculo do Mundo”
Ensino:

A 13 de junho teremos sempre o aniversário do senhor Pessoa para celebrar. Com os seus amigos mais íntimos, companheiros inventados que juntaram milhares de palavras às que escrevia em nome próprio. Cada poema de Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis é mais um fragmento do eu genial que foi Fernando Pessoa. Nos 120 anos do nascimento do maior poeta do século XX português fez-se este encontro com a sua poesia simples, complexa, singular. Escolheram-se vozes diferentes para as Pessoas de Pessoa. Aqui, Rui Reininho diz "Sábio É o que se Contenta com o Espetáculo do Mundo".

SÁBIO É O QUE SE CONTENTA COM O ESPETÁCULO DO MUNDO

Sábio é o que se contenta com o espetáculo do mundo,
E ao beber nem recorda
Que já bebeu na vida,
Para quem tudo é novo
E imarcescível sempre.

Coroem-no pâmpanos. ou heras. ou rosas volúveis,
Ele sabe que a vida
Passa por ele e tanto
Corta a flor como a ele
De Átropos a tesoura.

Mas ele sabe fazer que a cor do vinho esconda isto,
Que o seu sabor orgíaco
Apague o gosto às horas,
Como a uma voz chorando
O passar das bacantes.

E ele espera, contente quase e bebedor tranquilo,
E apenas desejando
Num desejo mal tido
Que a abominável onda
O não molhe tão cedo.

Poesia dos Outros Eus. Odes de Ricardo Reis.

 

Álvaro de Campos: “Tabacaria”
Veja Também

Álvaro de Campos: “Tabacaria”

Ricardo Reis, heterónimo de Fernando Pessoa
Veja Também

Ricardo Reis, heterónimo de Fernando Pessoa

“Poema podendo servir de Posfácio”, de Mário Cesariny
Veja Também

“Poema podendo servir de Posfácio”, de Mário Cesariny

 

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Pessoa, Pessoas
  • Tipologia: Programa de Poesia
  • Autoria: Inês Pedrosa
  • Produção: Casa Fernando Pessoa
  • Ano: 2008