Explicador Explicador
Tempos e modos verbais
Tempos e modos verbais
Ensino:

Os verbos são palavras que exprimem ações (comprar, arrumar, fazer), processos (nascer, crescer, amanhecer) ou estados (estar, ficar), situando-os no tempo. Sabias que os verbos são as palavras mais variáveis da língua, podendo ser flexionados de acordo com: tempo, modo, aspeto, pessoa e número. Vamos explorar as categorias TEMPO e MODO.

TEMPO

O tempo é a categoria gramatical que indica o momento em que ocorre a ação, acontecimento ou estado expressos pelo verbo.

Existem três tempos naturais: presente, passado e futuro. O tempo presente indica que a ação expressa pelo verbo ocorre no momento exato da enunciação (ex.: ando); o tempo passado indica que a ação expressa pelo verbo ocorre num momento anterior ao da enunciação (ex.: andei) e o tempo futuro refere que a ação expressa pelo verbo é posterior ao momento da enunciação (ex.: andarei).

Presente do indicativo – situa a ação expressa pelo verbo no momento atual.
Ex.: Estou em casa.

Outros valores:
– exprime uma ação habitual. Ex.: Leio jornais.
– exprime o futuro próximo. Ex.: Amanhã vou ao teatro.
– indica ações ou estados permanentes e intemporais. Ex.: A primavera antecede o verão.
– usa-se nas narrativas, para lhes conferir maior expressividade e atualidade. Ex.: Nesse momento, o homem levanta-se e sai da sala.

Pretérito perfeito simples do indicativo – situa no passado uma ação pontual e já concluída.
Ex.: A Laura encontrou um cão abandonado.

Pretérito perfeito composto do indicativo – exprime a repetição ou continuidade de uma ação, que se prolonga até ao momento presente.
Ex.: Tenho ido de autocarro para o trabalho.

Pretérito imperfeito do indicativo – situa no passado uma ação prolongada no tempo.
Ex.: Quando éramos solteiros, íamos muito ao teatro.

Outros valores:
– exprime um desejo (em vez do condicional). Ex.: Gostava de visitar esse país.
– exprime delicadeza (em vez do presente). Ex.: Queria a conta, por favor.

Pretérito mais-que-perfeito simples e composto do indicativo – exprimem um facto passado anterior a outro também passado:
Ex.: Quando chegámos ao auditório, o concerto acabara / tinha acabado.

Futuro simples do indicativo – situa a ação expressa pelo verbo num momento posterior ao da enunciação.
Ex.: No próximo ano, o marido da Sofia mudará de emprego.

Futuro composto do indicativo – indica uma ação futura, mas anterior a outra ação também futura já realizada.
Ex.: Quando tu chegares a casa, eu já terei saído.

Presente do conjuntivo – exprime uma dúvida ou um desejo no momento da enunciação.
Ex.: Hoje talvez possamos ir ao teatro. Por isso, espero que não te atrases.

Pretérito imperfeito do conjuntivo – exprime uma dúvida ou um desejo, com valor de passado.
Ex.: Talvez ele tenha conseguido apanhar o comboio.
Ex.: Espero que ele tenha conseguido apanhar o comboio.

Pretérito imperfeito do conjuntivo – exprime um desejo ou uma condição, com valor de passado ou de futuro.
Ex.: Seria bom que ele estudasse mais.
Ex.: Se ele estudasse mais, teria melhores resultados.

Pretérito mais-que-perfeito do conjuntivo – exprime uma ação anterior a outra ação passada.
Ex.: Desejámos que quando chegássemos à reunião, ainda não tivesse sido lida a ata.

Futuro simples do conjuntivo – exprime um futuro dependente de uma condição.
Ex.: Se a Sofia mudar de emprego, eles não farão a viagem.

Futuro composto do conjuntivo – indica uma ação futura, mas perspetivada enquanto ação passada.
Ex.: Quando tiverem terminado o exame, os alunos poderão sair.


MODO

O modo é a categoria gramatical que exprime a atitude (de certeza, de dúvida, de suposição, de ordem, etc.) da pessoa que fala em relação ao facto que enuncia. Em português, distinguem-se os seguintes modos:

Indicativo – exprime uma ação factual, uma certeza.
Ex.: A Mariana faz um bolo todos os sábados.

Conjuntivo – exprime uma ação não factual, hipotética.

Valores:
– dúvida: Talvez a Mariana faça um bolo no sábado.
– desejo: Seria tão bom que a Mariana fizesse um bolo!
– condição: Se a Mariana fizer um bolo, a irmã convidará alguns amigos.

Imperativo – expressa uma ordem, um pedido ou um conselho.
Ex.: Não faças mais do que um bolo!

Infinitivo – apresenta, de uma forma genérica e abstrata, a ideia da ação.
Ex.: Fazer exercício físico faz bem à saúde.

Condicional – exprime uma hipótese dependente de uma condição.
Ex.: Se ela tivesse dinheiro, viajaria pelo mundo inteiro.

Outros valores:
– exprimir uma dúvida, uma incerteza. Ex.: Quem seria aquele homem?
– exprimir delicadeza (em vez do presente). Ex.: Se não fosse muito incómodo, poderia dar-me uma ajuda?

Infinitivo impessoal – apresenta, de uma forma genérica e abstrata, a ideia da ação.
Ex.: Comer é um prazer para muitas pessoas. (= A comida é um prazer para muitas pessoas.)

Infinitivo pessoal – exprime também a ideia da ação em abstrato, mas distingue-se do infinitivo impessoal, pois tem flexão em todas as pessoas.
Ex.: Chegámos mais cedo para arranjarmos um bom lugar.

Gerúndio – apresenta o decorrer da ação ou processo expresso pelo verbo.
Ex.: fazendo exercício regularmente é que se conseguem bons resultados.

Particípio passado – apresenta o resultado da ação ou processo expresso pelo verbo. Entra, regra geral, na formação dos tempos compostos formados com os verbos auxiliares ter e ser.
Ex.: As crianças já tinham arrumado os brinquedos antes de a educadora pedir.

O verbo tratar e as expressões impessoais
Veja Também

O verbo tratar e as expressões impessoais

Relações de significado entre as palavras
Explicador

Relações de significado entre as palavras

Temas

Ficha Técnica

  • Área Pedagógica: Gramática
  • Tipologia: Explicador
  • Autoria: Sandra Duarte Tavares
  • Ano: 2022