Explicador Explicador
Relações de significado entre as palavras
Relações de significado entre as palavras
Ensino:

Sabias que as palavras da nossa língua mantêm diferentes relações de significado entre si? Então, de que forma é que as palavras se organizam na nossa mente? Será por ordem alfabética, como num dicionário? Vamos descobrir juntos!

O léxico é o conjunto das palavras que fazem parte de uma língua. Desde que nascemos e ao longo de toda a nossa vida, nós vamos aumentando o número de palavras que fazem parte do nosso léxico mental, tendo em conta as nossas experiências linguísticas em função da nossa história de vida.

Como é que as palavras se organizam na nossa mente? Sempre que precisamos de usar uma palavra, certamente que não a procuramos por ordem alfabética, como num dicionário. As palavras organizam-se com base nas relações que estabelecem entre si. Por exemplo, ao enunciarmos a palavra praia, ocorrem-nos de imediato palavras relacionadas, como mar, água, ondas, peixes, conchas, areia, mergulho, chapéu de sol, toalha, óculos de sol, fato de banho, gelados, entre outras.

As relações semânticas, ou de significado, que as palavras estabelecem entre si podem ser de diferentes tipos:

Relação de equivalência: sinonímia

A sinonímia é uma relação de equivalência entre palavras; duas palavras são sinónimas quando têm o mesmo significado. Por exemplo, os vocábulos «gorjeta» e «gratificação» podem ser usados como sinónimos:

Demos uma boa gorjeta ao empregado.
Demos uma boa gratificação ao empregado.

Apesar de existirem palavras com elevado grau de sinonímia, é muito raro haver sinónimos perfeitos (sinonímia total), como parotidite e papeira. Na maior parte dos casos, as palavras que têm o mesmo significado estabelecem entre si uma relação de sinonímia parcial. Por exemplo, os adjetivos feliz e contente não são sinónimos perfeitos, uma vez que não são comutáveis em todos os contextos:

Têm sido muito felizes desde que casaram.
Têm sido muito contentes desde que casaram. 

O adjetivo contente, não possuindo um valor inerente, só pode estar associado a verbos com um valor semântico temporário, como estar.

Relação de oposição: antonímia

A antonímia é uma relação de oposição entre palavras; duas palavras são antónimas quando apresentam significados opostos. Por exemplo, os verbos abrir e fechar podem ser considerados antónimos:

(a)   Ela abriu o frigorífico e fechou-o logo de seguida.

A relação de antonímia pode ser de diferentes tipos:

Antonímia contraditória ou complementar: quando a afirmação de um supõe a negação do outro. Exemplos: vivo/morto; par/ímpar.

Antonímia graduável ou contrária: quando entre as duas palavras existem outras de grau intermédio: bonito/feio; transparente/opaco; quente/frio.

Antonímia recíproca ou conversa: quando as duas palavras envolvem uma relação se reciprocidade: marido/mulher; dar/receber; perguntar/responder.


Relações de hierarquia: hiperonímia e hiponímia

A hiperonímia e a hiponímia são relações de hierarquia que se estabelecem entre palavra(s) que apresenta(m) um valor genérico (hiperónimos) e outra(s) que apresenta(m) um valor mais específico (hipónimos). O hiperónimo é, assim, a palavra que refere o conceito (a ideia geral) que inclui todas as entidades que partilham as suas propriedades semânticas; o hipónimo é palavra que individualiza os elementos abrangidos por esses dado conceito. Por exemplo:

 ferramenta » martelo, alicate, chave de fendas

Martelo, alicate e chave de fendas são hipónimos de ferramenta. Ferramenta é o seu hiperónimo.

inseto » mosca »varejeira

Inseto é o hiperónimo de mosca e mosca é o hipónimo de inseto.
Por sua vez, mosca é o hiperónimo de varejeira e varejeira é o hipónimo de mosca.


Relações de inclusão: holonímia e meronímia

A holonímia e a meronímia são relações de inclusão que se estabelecem entre uma palavra que apresenta o significado de um todo e outra(s) que apresenta(m) o significado de uma parte desse todo; o holónimo é, assim, a palavra que designa a unidade. O merónimo, por sua vez, é a palavra que designa a parte ou partes dessa mesma unidade. Por exemplo:

 Os pedais, o selim e o volante são partes constituintes de uma bicicleta. Dizemos que são os merónimos de bicicleta e bicicleta é o seu holónimo.

 A cabeça, o tronco e os membros são partes constituintes do corpo humano Dizemos que são os merónimos de corpo humano e o corpo humano é o seu holónimo.

Entre urgência e emergência há diferença?
Veja Também

Entre urgência e emergência há diferença?

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Relações de significado entre as palavras
  • Área Pedagógica: Gramática
  • Tipologia: Explicador
  • Autoria: Sandra Duarte Tavares
  • Ano: 2022