Pesquisar

À espera da chuva

Num ano que se anunciava seco foram tomadas diversas medidas em localidades alentejanas para evitar que o abastecimento de água às habitações sofresse cortes. Uma situação que se repete sempre que se anunciam problemas de abastecimento.

Na primavera de 2005 os níveis de água nas barragens do sul do país estavam perigosamente baixos e, devido aos anos de seca que se acumulavam naquela altura, também começavam a secar os lençóis de água subterrâneos explorados através de furos artesianos ou poços.

Por causa desta situação, localidades como São Marcos da Atabueira, Vila Nova de São Bento ou Santa Bárbara de Padrões, nos concelhos alentejanos de Castro Verde e Serpa, viram o seu abastecimento condicionado no final do Inverno. Para poupar água foi ordenado o corte em fontanários públicos e apenas foi garantido o fornecimento às habitações.

Em anos anteriores as autoridades tinham conseguido reforçar os caudais com a realização de furos mas, após vários anos com pouca chuva, também estes estavam ou ameaçavam ficar secos.

Nesta reportagem podemos ouvir depoimentos de Manuel Francisco, Maria de Fátima e Dimas, moradores em aldeias expostas à situação de seca; Fernando Caeiros, Presidente da Câmara Municipal de Castro Verde e Carlos Ferreira, Responsável do Departamento de Obras da Câmara Municipal de Serpa.

  • Temas: Geografia
  • Ensino: 3º Ciclo, Ensino Secundário

Ficha Técnica

  • Título: Alentejo continua à espera da chuva
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Sérgio Vicente
  • Produção: RTP
  • Ano: 2006

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.