Pesquisar

Os cavalos marinhos também se abatem

Este peixe, místico pelo seu aspecto de cavalo, de apenas alguns centímetros, já teve a maior população mundial concentrada na Ria Formosa. Mas em menos de 20 anos a colónia de cavalos-marinhos caiu de cerca de 2 milhões de indivíduos para 100 mil. A pressão humana, a pesca ilegal e a alteração do habitat está a matá-los.

Conta a mitologia grega que os cavalos marinhos eram chamados de hipocampos. Eram filhos de Poseidon – deus supremo do mar – que os criou através da espuma do mar e da crista das ondas.

Em Portugal, é nas pradarias marinhas da Ria Formosa que vivem, ou sobrevivem, estas criaturas que inspiram grande curiosidade devido ao seu aspecto singular. Uma cabeça parecida à de um cavalo, onde não faltam as crinas, um corpo que em nada parece de peixe, embora o seja, que finaliza numa cauda encaracolada.

Lentos, sedentários, vivem praticamente agarrados à flora marinha de que se alimentam, quase sempre com um olhar que parece perturbado, já que cada olho funciona de forma independente. São os machos que incubam os ovos lançados pelas fêmeas nas suas bolsas marsupiais.

Hippocampus guttulatus e H. hippocampus são as duas espécies que se encontram sob ameça. Apesar de protegidas pela CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção), alguns pescadores capturam-nos através de métodos não permitidos, como o mergulho com garrafa e o arrasto de vara.

São vendidos com grande rentabilidade para o mercado asiático que os usa na medicina tradicional ou como meros ornamentos. Mas os perigos para estes seres, que parecem saídos de histórias de encantar, são muitos. A pressão humana na zona de sapal da ria e o número muito elevado de fundeamentos de embarcações está alterar o ecossistema.

O enorme declínio do número de cavalos marinhos em duas décadas fê-los entrar na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza, em 2016. São hoje criados em cativeiro, como forma de preservação das espécies e para eventual necessidade de repovoamento da Ria Formosa.

Ficha Técnica

  • Título: Mar, A Última Fronteira
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: Nuno Sá
  • Produção: Nuno Sá / RTP
  • Ano: 2019

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui