Pesquisar

A Madeira e a viagem do Açúcar (V)
O açúcar e os escravos

Os escravos foram um elemento essencial, mesmo que involuntário, da cultura do açúcar e de outras produções em grande escala, como o cacau ou o algodão, que se desenvolveram no mundo colonial e noutros países até perto do século XX.

A história da escravatura começa muito antes do transporte de africanos da costa ocidental de África para as ilhas atlânticas e as Américas, mas foram os europeus que massificaram a sua utilização na exploração de recursos agrícolas, mineiros e outros, dando uma escala completamente diferente ao tráfico.

Em Portugal, a primeira grande chegada de escravos data de 1444 quando, em Lagos, foram vendidos 235 africanos capturados por uma expedição patrocinada pelo Infante. Até ao século XIX, portugueses e espanhóis terão comerciado cerca de cinco milhões de homens, mulheres e crianças oriundas de vários pontos da costa ocidental de África. Uma parcela importante dos cerca de 12 milhões de pessoas traficadas pelos europeus ao longo de 350 anos.

A série “A Madeira e a História do Açúcar”  leva-nos a conhecer a relação que existe entre aquele arquipélago e o açúcar.  É conhecida a importância deste produto nas nossas vidas, mas desconhecemos a forma como marcou a história de Portugal e o papel que a Madeira desempenhou como plataforma de produção e desenvolvimento de uma tecnologia que se expandiu para todo o mundo.

Ficha Técnica

  • Título: A Madeira e a viagem do Açúcar - o Açúcar e os escravos
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Francisco Faria Paulino
  • Produção: RTP/ Edicarte
  • Ano: 2017

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui