Pesquisar

A revolta de 14 de maio de 1915

Foi a mais sangrenta revolta do século XX português, mas poucos conhecem a sua história. A 14 de maio de 1915 teve lugar uma confrontação que opôs o Partido Democrata ao Partido Progressista e a Bernardino Machado, Presidente da República de então. Morreram cerca de 200 pessoas e mil ficaram feridas.

A nomeação para primeiro-ministro de general Pimenta de Castro, pelo presidente da República Bernardino Machado, causou grande desconforto entre alguns partidos republicanos. Quando o oficial avançou para implantação de uma ditadura, o Partido Democrático aproveitou o descontentamento popular para apelar à realização de manifestações, entre 14 e 19 de maio, que levariam à destituição do governo.

Na noite de 14 de maio mais de sete mil homens – membros da Carbonária, GNR e exército – ocuparam o Arsenal da Marinha e nos dias seguintes houve importantes confrontos de infantaria e artilharia que envolveram navios de guerra ancorados no Tejo. Sem apoio popular e em inferioridade de forças o governo demitiu-se e passou o poder para as mãos do Partido Democrático.

São imagens deste período de revolta que se encontram no programa Memória Fotográfica, uma série documental onde as fotografias ganham vida.  O historiador Rui Tavares mostra como ocorreram episódios que marcaram a história portuguesa do século XX. Guerras, revoluções, intrigas, festejos, dramas, vitórias, líderes, derrotados e vencedores, de tudo se encontra nas fotografias que preservam parte da nossa memória coletiva. Elas retratam as mais diversas áreas e episódios da vida portuguesa do século passado.

Ficha Técnica

  • Título: Memória Fotográfica - A revolta de 14 de maio de 1915
  • Tipo: Programa
  • Autoria: Jorge Nunes, Miguel Montez Leal, Rui Tavares
  • Produção: RTP/ Panavideo
  • Ano: 2018

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui