Memórias da Guerra Colonial
Custódio Soeiro, um dos primeiros soldados em Angola
Ensino:

Custódio Soeiro, natural de uma aldeia do concelho de Arouca, foi um dos soldados que embarcou para Angola no primeiro contingente enviado para a Guerra colonial em Angola, a 21 de abril de 1961. Mais tarde regressaria a África para trabalhar.

Em março de 1961 a UPA – União das Populações de Angola – desencadeou um massacre no norte de Angola, uma ação que deu início à guerra naquele país e que posteriormente se estendeu também a outras colónias portuguesas. Em poucos dias foram mortas cerca de 800 pessoas – entre europeus e africanos – na sequência dos ataque que visaram especialmente ataques a casas isoladas, fazendas e aldeias. Não são poupados crianças, mulheres ou velhos.

É na sequência deste massacre que o presidente do conselho, Oliveira Salazar, faz o célebre discurso “Para Angola, rapidamente e em força”, de que resultou o envio de cerca de um milhar de soldados para aquele país logo em Abril. Custódio Soeiro foi um deles.

Nesta reportagem encontra declarações de Custódio Soeiro, Ex-combatente em Angola 1961/1963; Carlos Matos Gomes, autor do livro “Guerra Colonial”; Pedro Aires Oliveira, Presidente do Instituto História Contemporânea e Norminda Soeiro, mulher de Custódio Soeiro.

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Memórias da Guerra: Custódio Soeiro
  • Tipologia: Reportagem
  • Autoria: Ana Luísa Rodrigues
  • Produção: RTP
  • Ano: 2021