Pesquisar

Meios de campanha da Cruz Vermelha e do INEM

Tanto a Cruz Vermelha Portuguesa como o Instituto Nacional de Emergência Médica têm condições para deslocar meios materiais e humanos para cenários de crise ou catástrofe tanto no país ou no estrangeiro. Foi o que fizeram quando Moçambique foi atingido pelo ciclone Idai, um fenómeno que destroçou vilas e cidades, matando centenas de pessoas e destruindo todo o tipo de infraestruturas.

O Idai atingiu o território moçambicano no início de março de 2019, e poucos dias depois a Cruz Vermelha Portuguesa montou um complexo de tendas com o objetivo de apoiar uma maternidade no bairro de Macurungo, na cidade da Beira. Em poucas horas já tinha realizado vários partos, num espaço onde existia também um serviço de urgências e outro para consultas externas. Este equipamento ficou em funcionamento até à recuperação do centro de saúde, cuja reconstrução foi parcialmente financiada através de doações de cidadãos portugueses.

O INEM também deslocou meios para Moçambique logo após o ciclone, nomeadamente para a localidade de Mafambisse, no distrito Dondo, onde foi erguido um hospital de campanha para apoiar o centro de saúde local. Consultas, raios-X e sala de tratamentos eram algumas das valências que a população ali podia encontrar.

Ficha Técnica

  • Título: Apoio médico da Cruz Vermelha e do INEM em Moçambique
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Pedro Martins
  • Produção: RTP
  • Ano: 2019

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui