Quando o sexo é a arma do crime
Ensino:

A maioria dos alvos de abuso sexual são mulheres e jovens. Atos sexuais que envolvem menores de 14 anos são sempre crime em Portugal. Mais de metade dos detidos em território nacional por crimes desta natureza são familiares das vítimas.

Num grupo de ajuda para mulheres vítimas de violência sexual, Emília descobriu que era uma sobrevivente. Só em adulta conseguiu verbalizar os abusos cometidos na infância por um elemento da família. O crime foi negado e levou ao seu isolamento familiar. Uma história demasiadas vezes multiplicada.

Cerca de um quinto das mulheres portuguesas entre os 15 e os 49 anos já foi alvo de violência física ou sexual por parte do parceiro. São dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) e reportam-se ao final da segunda década do século XXI. As agressões – tendência a nível mundial – começam maioritariamente na adolescência e as mulheres são mais visadas.

Violência contra adolescentes: uma epidemia mundial
Veja Também

Violência contra adolescentes: uma epidemia mundial

A violência com base no sexo é multifacetada. Vai do comentário ou piada que provoca desconforto ou receio a toques íntimos não desejados. Nas suas formas extremas implica ato sexual não consentido, pornografia e prostituição. Há ainda as situações de “grooming “: o aliciamento online de crianças e jovens que visa um posterior contacto direto para fins de abuso sexual.

Violência no namoro é crime público
Veja Também

Violência no namoro é crime público

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Direito à Pele - Violência Sexual
  • Tipologia: Reportagem
  • Autoria: Ana Luída Rodrigues / Guilherme Colaço / Emanuel Prezado / Luís Vilar / Vanessa Brízido / Luís Bernardo
  • Produção: RTP
  • Ano: 2021