Refugiados bóeres em Portugal
Ensino:

Entre 1901 e 1902, várias centenas de bóeres (ou boers) - sul-africanos de ascendência europeia - chegaram a Portugal, com um estatuto misto entre refugiados e prisioneiros. Ficaram no país durante pouco tempo, mas as suas histórias permaneceram.

Abrantes, Tomar, Alcobaça, Abrantes e Peniche foram locais que viram chegar várias centenas de bóeres que, meses antes, tinham entrado em Moçambique. Fugiam à perseguição do exército britânico que, desde 1899, tentava controlar todo o território da África do Sul.

Refugiados em Portugal no Século XX
Veja Também

Refugiados em Portugal no Século XX

Entre os que chegaram, a maioria eram homens. Vários combatentes, contando-se um general e alguns oficiais das forças bóeres. Pelo menos um acabou por casar com uma jovem portuguesa, apesar da oposição da família.

As condições em que estes homens e mulheres ficaram em Portugal também foram diferentes, consoante os locais de alojamento. A fortaleza de Peniche foi o local escolhido para acolher cerca de quatrocentas pessoas, apesar de ter condições bastante precárias. Já em Abrantes, foi melhor o alojamento de um general, e em Tomar um grupo de refugidos chegou mesmo a abrir uma mina de ouro.

Chegar refugiado e ficar como português
Veja Também

Chegar refugiado e ficar como português

 

Temas

Ficha Técnica

  • Título: No rasto dos Boers
  • Tipologia: Documentário
  • Autoria: Anabela Saint-Maurice
  • Produção: RTP
  • Ano: 1997