Explicador Explicador
O Tratado de Versalhes e outras consequências da I Guerra Mundial
O Tratado de Versalhes e outras consequências da I Guerra Mundial
Ensino:

No final da Grande Guerra foram assinados diversos tratados com os países derrotados que redesenharam o mapa político da Europa e que deram origem a novas tensões. Nem mesmo os países vencedores, como a Itália, ficaram satisfeitos com os despojos de guerra alcançados, enquanto a Rússia, que tinha assinado uma paz separada com a Alemanha em Brest-Litovski, foi ignorada, já que as potências aliadas não quiseram negociar com o governo bolchevique.

O Tratado de Versalhes, assinado com a Alemanha, foi o mais importante de todos os tratados do pós-guerra. Ainda que os alemães não concordassem com os termos impostos, tiveram de aceitar o documento que lhes foi apresentado. Simbolicamente, a cerimónia de assinatura decorreu na Sala dos Espelhos do Palácio de Versalhes, onde o Império Alemão havia sido proclamado em 1871. Foi um duro golpe no orgulho nacional alemão, sendo encarado como um “Diktat” – uma imposição – e instrumentalizado pela propaganda da direita nacionalista, e especialmente por Hitler, contra a República de Weimar.

Os termos impostos pelos vencedores foram duros. A Alemanha perdeu diversos territórios, como a Alsácia-Lorena, para a França, uma parte do território da Prússia, a Alta Silésia (rica em carvão e outros minérios) e a cidade de Posen para a Polónia. Foram colocados sob administração da Sociedade das Nações a cidade portuária de Danzig e o Sarre, uma área altamente industrializada e rica em carvão e ferro.

Ficou determinado que, passados 15 anos, a população do Sarre seria convocada a decidir, através de um plebiscito, a manutenção do estatuto ou a passagem à administração francesa ou alemã. A região da Renânia foi desmilitarizada e ocupada pelos Aliados durante mais de uma década. Além disso, a Alemanha perdeu todas as suas colónias africanas. No total, tudo isto representou uma perda de 13% do território e de 10% da população.

O tratado proibia ainda a união entre a Alemanha e a Áustria, reivindicada pelos nacionalistas pangermânicos, e limitou os níveis de armamento. A partir de então, o exército ficava limitado a 100 mil homens e a Marinha a 15 mil. A conscrição estava proibida e o país não poderia possuir submarinos ou Força Aérea.

A cláusula da “Culpa de guerra” identificava a Alemanha e os seus aliados como os únicos culpados pelo conflito. A Alemanha teria ainda de pagar pesadas indemnizações.

 

O Tratado de St. Germain

Com a desagregação do Império Austro-Húngaro em vários Estados-Nações, a Áustria e a Hungria assinaram tratados de paz independentes. O Tratado de St.Germain (1919), assinado com a Áustria, determinava a cedência de importantes territórios.

A pequena república da Áustria via a sua população reduzida de 22 milhões para 6,5 milhões, perdendo importantes áreas industriais, que a deixariam vulnerável a crises económicas.

 

O Tratado de Sèvres

O desmoronamento do Império Otomano ficaria selado através do Tratado de Sèvres, um acordo que esteve em vigor pouco tempo, mas cujas consequências ainda hoje são visíveis.

A Turquia perdia os territórios otomanos da Europa, à exceção de Constantinopla, enquanto a Síria era colocada sob mandato francês e a Palestina, o Iraque e a Transjordânia sob mandato britânico. O tratado assegurava ainda a criação da Arménia e a autonomia do Curdistão. Os estreitos de Bósforo e de Dardanelos seriam desmilitarizados e abertos à livre navegação.

Liderados por Mustafa Kemal, os turcos rejeitaram o tratado e desencadearam uma guerra de independência, expulsando os exércitos de ocupação gregos de Esmirna, enquanto os franceses e italianos retiraram dos Estreitos. As novas fronteiras da Turquia foram reconhecidas apenas em 1923, com a assinatura do Tratado de Lausanne.

Devido à difícil situação que os países enfrentavam no pós-guerra, é pouco provável que os homens que negociaram a paz tivessem conseguido um compromisso mais viável. Houve erros determinantes que condicionaram o futuro da Europa, mas em 1919 e 1920 ninguém poderia prever a chegada de Hitler ao poder ou a eclosão de uma nova guerra mundial.

Temas

Ficha Técnica

  • Área Pedagógica: Enunciar as principais decisões dos tratados de paz (com destaque para o Tratado de Versalhes).
  • Tipologia: Explicador
  • Autoria: Associação de Professores de História
  • Ano: 2021
  • Imagem: Cemitério de soldados alemães em Stobychowka na Rússia, 1914