Pesquisar

Sagres, o mar do fim do mundo

Onde se juntam as águas do Atlântico e do Mediterrâno, seres do fundo do mar encontram espaços de eleição para viver. Uma gruta e um navio de guerra naufragado são os locais escolhidos pela equipa de mergulho do programa "Mar, a Última Fronteira", para nos dar a conhecer a variedade de espécies marinhas do mar de Sagres.

Um mergulho no mar de Sagres, onde se juntam as águas calmas do Mediterrâneo à ondulação revolta do Atlântico. Uma mistura que torna a área particularmente rica quer em flora, quer em fauna marinha. Na ponta sudoeste de Portugal, dois lugares de eleição: a mais icónica caverna subaquática da região e um vapor afundado em 1917.

Na “Catedral”, gorgónias e espirógrafos deslumbram como verdadeiros jardim flutuantes. Numa das galerias da gruta, pode subir-se à superfície e um teto de estalactites é um deslumbramento a fazer lembrar um palácio de conto de fadas. Uma formação calcária em desenvolvimento, fruto da água doce que se entranha no solo, sob a Ponta de Sagres.

Quanto ao “Torvore”, poderia parecer, no fundo do mar, um navio fantasma, não fosse a imensão de vida que o percorre. O vapor norueguês da Primeira Guerra Mundial faz parte do cemitério de embarcações em que se tornou esta área, ao longo da História. Forrado a algas e redes de pesca, que há mais de um século o envolvem, é o habitat perfeito para dezenas de espécies.

 

 

Ficha Técnica

  • Título: Mar, A Última Fronteira
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: Nuno Sá
  • Produção: Nuno Sá / RTP
  • Ano: 2019

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui