Pesquisar

Uma história dos Capelinhos

O vulcão nasceu no mar, a 300 metros da ponta do capelo, na freguesia dos Capelinhos, no Faial. A sua atividade prolongou-se – com intensidade diversa - entre o dia 27 de setembro de 1957 e 24 de outubro de 1958.

A erupção foi antecedida por 12 dias de pequenos sismos. Como o fenómeno surgiu no mar assistiu-se à emissão de vapor de água e gases em grandes quantidades e também a explosões, que lançavam jatos de cinzas e nuvens de vapor de água.

Com a acumulação de detritos formou-se uma pequena ilhota que chegou aos cem metros de altitude e ficou conhecida como Ilha Nova. Nos momentos de acalmia esta nova estrutura era devorada pelo mar e várias outras ilhotas nasceram e desapareceram durante os meses do vulcão.

Após sete meses de erupção no mar abriu-se uma fenda em terra, na parte leste do cone do vulcão, onde era possível ver repuxos de lava incandescente que subiam a vários metros de altura.

Cerca de um ano após do seu aparecimento o vulcão começou a perder força e em 24  Outubro aconteceu a última libertação de lava.

Ficha Técnica

  • Título: 50 anos Vulcão dos Capelinhos
  • Tipo: Reportagem
  • Autoria: Vera Santos
  • Produção: RTP
  • Ano: 2007

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Consulte a nossa Política de Privacidade.