Pesquisar

As Mil e Uma Noites de Xerazade

Mais de mil anos têm as histórias que Xerazade conta, noite após noite, ao rei Xarir. O que lhe oferece são enredos sem fim, entre a fantasia e a realidade, com génios, sultões, ladrões, donzelas e a maldade que o homem conhece. Os contos que salvam a filha do vizir da morte certa tornar-se-iam uma das obras mais populares da história da literatura e uma inesgotável fonte de inspiração para autores de todas as artes. Das arábias para o ocidente, As Mil e Uma Noites apresentam-se agora na primeira tradução portuguesa, feita a partir do original árabe.

As noites de Xerazade chegaram ao mundo ocidental no século XVIII, na versão francesa do orientalista Antoine Galland. A voz da contadora de histórias que encantara o cruel sultão, começava a prender leitores às páginas de um livro sem tempo e sem autor ou autores conhecidos. Foi o princípio da fama universal desta coleção de fábulas e contos tradicionais do sudeste asiático e do Médio Oriente, traduzida para diversas línguas, alvo de ajustes e acrescentos a acentuarem-lhe o exotismo, filão mais tarde explorado tanto pela Disney como por Hollywood.

Das Mil e Uma Noites saíram génios de lâmpadas e palavras mágicas que abriam cavernas e encantavam crianças, mas nem Aladino ou Ali Babá estavam na obra original. Foi esse manuscrito antigo, em língua árabe, que atraiu Hugo Maia para uma tradução inédita em português. Entrar no labirinto narrativo da filha do grão-Vizir e trabalhar a linguagem marcada pela oralidade, o desafio assumido por este tradutor que, em dois volumes, nos apresenta as 282 histórias que salvaram a vida de Xerazade.

 

Ficha Técnica

  • Título: Literatura Aqui - As Mil e Uma Noites
  • Tipo: Extrato de Programa Cultural - Reportagem
  • Produção: até ao Fim do Mundo
  • Ano: 2017

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui