Torre de Belém, a joia ribeirinha
Ensino:

Suspensa nas águas do Tejo, peça de joalharia do reinado de D. Manuel, a Torre de Belém foi erguida para defender Lisboa dos piratas, mas poucos tiros de canhão foram dali disparados. Apresentamos este original monumento português, Património da Humanidade.

Vencidos Adamastores, dobrados cabos das Tormentas, o que os portugueses iam conquistando no mar, glorificava-se em terra. A chegada de Vasco da Gama à Índia é um desses grandes momentos de exaltação nacional. No mesmo sítio de onde partiram as naus, hão de ser implantados dois símbolos do poder português no mundo. Um, será o Mosteiro dos Jerónimos que vai demorar cerca de cem anos até ser acabado; o outro, a Torre de Belém, que também é de S. Vicente, padroeiro de Lisboa, vai nascer no Tejo.

Jerónimos, a epopeia da pedra
Veja Também

Jerónimos, a epopeia da pedra

A pequena fortaleza, considerada “um dos mais originais edifícios de arquitetura militar do reinado de D. Manuel I, fazia já parte do plano de defesa costeira elaborado por D. João II. A obra será entregue ao arquiteto Francisco de Arruda, que a tem pronta em seis anos, em 1520. Projetada para defender a barra da cidade, funciona como um navio de pedra, equipado com artilharia na zona térrea para fazer fogo rasante e cruzado com a Torre Velha, situada na margem sul do rio. Mas ao longo dos tempos, a fortificação irá desempenhar funções de controle aduaneiro, vai ser farol, telégrafo e até prisão, com fama de ser terrível.

Farol do Bugio, uma fortaleza na foz do Tejo
Veja Também

Farol do Bugio, uma fortaleza na foz do Tejo

A Torre de menagem, estrutura medieval, destaca-se do conjunto. Ladeada pelos símbolos do rei, a esfera armilar e a cruz de Cristo, era a casa do governador. O varandim é cercado de guaritas, com cúpulas exóticas, inspiradas no oriente. A decoração que envolve e sobressai nos três pisos do edifício é própria do estilo manuelino, com os elementos naturalistas em grande destaque. E há ainda a escultura do rinoceronte, animal de outras terras que só os portugueses tinham visto até então.

Este símbolo de Portugal no mundo foi classificado Património da Humanidade em 1983, no mesmo ano em que o Mosteiro dos Jerónimos teve o mesmo reconhecimento. Fazemos uma viagem a esta joia ribeirinha guiada pelo historiador Anísio Franco. Sejam bem-vindos à Torre de Belém.

Convento de Cristo, sete séculos de História
Veja Também

Convento de Cristo, sete séculos de História

Temas

Ficha Técnica

  • Título: Património Mundial Português
  • Tipologia: Documentário
  • Produção: Filma e Vê/ RTP2
  • Ano: 2010