O retorno de África
Ensino:

Entre 1974 e 1976, os portugueses que regressaram de África protagonizaram um dos maiores movimentos migratórios da Europa do pós Segunda Guerra Mundial. Apesar das marcas profundas que provocou nos que foram obrigados a voltar à metrópole, o processo de reintegração é considerado um caso de sucesso e foi um passo fundamental da jovem democracia portuguesa.

Estima-se entre meio milhão e 700 mil os portugueses que, após a revolução de abril de 74, se viram na contingência de deixar África. As colónias conquistavam a sua independência, numa passagem de poder político diretamente do Estado português para as mãos dos movimentos de libertação nacional. Perante a iminência da guerra civil em Angola e revoltados com os acordos de Lusaka, em Moçambique, os portugueses encontravam-se numa situação de insegurança e ausência de opções.

Para a memória ficam as imagens de vidas encaixotadas em cargueiros e também as da ponte área que, entre junho e novembro de 1975, se saldou em 905 voos de Luanda para Lisboa. Para quem retornava às origens era profunda a estranheza perante um Portugal que encontraram fechado e tacanho. O regresso foi também de grande resistência por parte de quem os recebia. Olhava-se os que voltavam com a desconfiança sobre os “privilegiados” que vinham “roubar” empregos e associava-se esta faixa da população às políticas de direita.

Mas à distância que a história permite a análise, este é um processo considerado de sucesso, já que as políticas de apoio aos retornados revelaram uma estratégia de integração sustentada e não de mero assistencialismo. Com os que voltaram, o envelhecimento populacional conheceu um retrocesso, a sociedade tornou-se mais tolerante a novas etnias e religiões e o país abriu-se a novos hábitos. O retorno dos antigos colonos conduziu também ao aumento do emprego de qualidade e dinamizou o mercado empresarial.

Temas

Ficha Técnica

  • Título: História a História África - O Retorno, episódio 13
  • Tipologia: Documentário
  • Autoria: Fernando Rosas
  • Produção: RTP / Garden Films
  • Ano: 2018