Pesquisar

A Bioeconomia da Floresta, o exemplo sueco

Como se gere a floresta na Suécia? Uma fonte económica que parece não ter fim, num país onde, ao mesmo tempo, há cada vez mais árvores. O lema é: fazer mais, com menos e de forma mais sustentável. Uma economia que passou de linear a circular com base nos recursos renováveis e em nome da conservação da biodiversidade e da descarbonização.

Para mostrar que a madeira dá para muito mais do que para pasta de papel e mobiliário, na Suécia revelam-se projetos inovadores como o de uma impressora 3D que, em poucas horas, imprime caiaques a partir de granulado de madeira e milho. Reduz-se a pegada ecológica e dá-se asas à imaginação. O futuro passa pela descoberta, como sempre, de como fazer mais e melhor. Neste país, por cada árvore cortada, plantam-se duas. Uma equação que tem rendido a nível económico e ambiental.

Aumentar o valor da floresta vai ao encontro da bioeconomia circular: uma combinação de processos com a utilização de recursos renováveis, num ciclo que pretende reduzir o desperdício e ao mesmo tempo incentiva a durabilidade, a reciclagem e a reutilização. Neste caso permite aumentar o valor gerado pela floresta tendo por base o desenvolvimento sustentável.

A Suécia revela-se um país exemplo neste tipo de economia florestal ao dar destaque às atividades que aproveitam a biomassa e outros materiais da floresta e ao reaproveitamento dos resíduos gerados durante os processos industriais do setor. É também um país a seguir no que toca às dinâmicas que contribuem para a preservação e equilíbrio dos ecossistemas florestais e da sua biodiversidade.

Ficha Técnica

  • Título: De Lisboa a Estocolmo - episódio 4
  • Tipo: Extrato de Programa
  • Autoria: Rebecca Abecassis / Tiago Passos
  • Produção: RTP
  • Ano: 2021

A RTP utiliza cookies no seu sítio para lhe proporcionar uma experiência mais agradável e personalizada. Saiba mais aqui